Na hora de procurar o novo – ou o primeiro – emprego as qualificações do candidato contam muito. Mas é inegável que as formas de apresentar essas qualificações também podem fazer toda a diferença na hora de fechar um contrato de trabalho. Não é à toa que existem diversas formas de formatar um currículo e utilizar de seu apelo visual para conquistar o entrevistador. E existem muitas maneiras de impressionar quando apelamos para esse tipo de cuidado.

A primeira dica para se dar bem na formatação do seu currículo é ser organizado. Não é preciso buscar pelos sites da vida uma forma de fazer currículo, porque não existe “receita de bolo” para isso. No entanto, organização conta muito. A regra geral é que o cabeçalho do currículo conte com as informações pessoais do candidato, como nome completo, endereço, telefone, e-mail e estado civil. Sim, estado civil é uma informação importante, assim como o número de filhos. Dependendo do tipo de empresa onde se pleiteia uma vaga, essa informação pode ser classificatória e até decisória.

Ao relatar as experiências de trabalho, a pessoa que se candidata a uma vaga de emprego deve sempre começar seu relato da última empresa trabalhada, passando para a penúltima, antepenúltima e assim por diante. É preciso fazer uma ordem inversa das experiências, pois sua última experiência pode ser mais importante para a empresa do que todas as outras juntas. Quem ainda não tem experiências de trabalho e pleiteia o primeiro emprego pode falar no currículo qual é seu objetivo profissional e elencar as experiências extracurriculares, como cursos de línguas e outras atividades que possam ser interessantes à vaga.

Hoje em dia, em plena era digital, ninguém mais entrega currículos à mão. Então prestar bastante atenção nas palavras que o corretor automático do computador pode modificar é a primeira regra na hora de formatar um currículo. O candidato não precisa se preocupar muito com margens e espaço entre linhas, já que o currículo não é uma demonstração de documento de ABNT, mas é sempre muito necessário manter o currículo “limpo”. Isso significa que é interessante usar apenas um tipo de letra – de preferência as clássicas Arial, Verdana ou Times New Roman.

Um detalhe importante de quem faz currículo é não deixar as margens soltas por aí, apesar de não ser obrigatório ter centímetros certos para cada lado da página. É sempre indicado usar o formato “justificado” para padronizar as margens, e evitar alinhar o texto à esquerda. Nunca, em tempo algum, é possível colocar todo o currículo no modo “centralizar”. No máximo, apenas o nome do candidato no alto da página.

Vale lembrar que o currículo não é um documento engessado, e pode ser feito de várias maneiras – inclusive das mais criativas. Quem tem portfólio no currículo, desenhos e designs pode fazer um currículo temático sobre isso, sem necessariamente utilizar uma folha de papel. Para quem não pleiteia um emprego criativo a dica é seguir a intuição – e o bom gosto desejável – na hora de confeccionar seu documento. Para quem tem “preguiça” dessa iniciativa, uma boa saída é procurar por emprego nos portais que ofertam vagas, e que contam com uma forma padronizada de alimentar o currículo.